quinta-feira, 24 de março de 2011

Reforma Geral


Durante minha vida de ávido telespectador, sempre assisti a exaltação e a exploração da beleza e das curvas femininas, nada de debates se isto é machismo ou não, meu objetivo é mais profundo, é ver a evolução dessa exploração ao longo dos últimos 30 anos, fase de radicais mudanças. 
Nesse período existiram dois programas em que o público masculino predominava: O Cassino do Chacrinha (Globo) e O Clube do Bolinha (Bandeirantes). Em ambos, mulheres com maiôs de lantejoulas dançavam conforme a música exibindo pernas e bumbuns lindos, do jeitinho que Deus fez,  mantidos com aulas de dança, até então consideradas a melhor forma de modelar o corpo. Como brasileiras “típicas”, possuíam seios pequenos ou médios.
No início dos anos 90 surgiu no SBT o programa Coquetel apresentado por Miele, sempre elegante, suas garotas agora com maiôs mais ousados. Seus quadros de topless com roupas íntimas faziam a alegria de muitos machões. Nesse programa o corpo ainda era natural e pequenas gordurinhas eram vistas.
Após alguns anos o fenômeno, em meio a uma febre de loiras dançarinas surge ela - Suzana Alves, a Tiazinha. Dona de um corpo escultural, rosto perfeito, cabelos negros como a noite, ela catapultou a audiência do programa “H”, encabeçado pelo agora global Luciano Huck. A Tiazinha era bela por natureza, suas coxas e bumbum modelados com malhação leve e cuidados na alimentação estavam acima da expectativa de qualquer mulher. Seu desempenho alimentou a fantasia de homens e mulheres, o chicotinho virou brinquedo sem tabu, era presente de despedida de solteiro para as mulheres e cera depiladora para os homens.
Pouco tempo depois sai de cena a Tiazinha (tudo que é bom dura pouco), e surge a escalada de mulheres cuja profissão é ser “gostosa”, estou falando da Joana Prado, a  Feiticeira. A televisão nunca foi a mesma depois dela, seios siliconados passou a ser exigência, pernas e bumbuns musculosos um padrão, não era mais possível ser bela com uma ou duas horas de academia, eram necessárias de 4 a 6 horas por dia, levantamento de peso era obrigatório. Joana em uma entrevista após ser questionada como conseguia suas curvas, vangloriava-se de fazer exercícios para o bumbum e coxas com uma carga de mais de 100 kgs.
A partir daí atingiu-se o inatingível, Deus e a genética saíram de cena e entrou o cirurgião plástico.
Mulheres que não podiam pagar por uma prótese de silicone, passaram a injetar silicone de vedação em seus corpos (o mesmo é tão tóxico que provoca intoxicação só pelo cheiro forte), levando a consequências graves e por vezes fatais. O mercado de cirurgia plástica sofreu uma explosão, médicos sem experiência, ética ou escrúpulos, faziam cirurgias com materiais de procedência duvidosa ou sem conhecer a fundo as técnicas, levando inúmeras mulheres a casos horrorosos de mutilação.
Nos dias de hoje, programas como Pânico (não assisto) empregam mulheres deformadas com próteses de silicone maiores que suas cabeças e pernas mais musculosas que as do jogador Roberto Carlos. Bem não sou açougueiro, mas filé é carne de primeira, e o gostoso é justamente aquela capinha de gordura. O que se vê nessas mulheres modeladas é músculo, músculo é carne dura, e digo mais, de segunda!
A curiosidade sobre a consistência do seio siliconado, fez com que pedisse há alguns anos para apertar o peito de uma amiga e levei um sonoro "não". Todas as mulheres apertam, não entendi o porque dessa discriminação.
Por ocasião dos desfiles carnavalescos, vimos na televisão modelos torturadas por seguidas cirurgias plásticas. Transformaram os seios em alegorias para entrar na moda da peitaria robusta das norte americanas. Entupiram as nádegas de silicone para se tornarem rebolativas e sensuais,  substituíram os narizes, desviaram costas, mudaram o traçado do dorso para se adaptarem à moda do momento e ficarem irresistíveis diante dos homens.
       Penso o seguinte, com exceção de uma correção estética considerada importante, as mulheres são maravilhosas e podem aceitar quem são e o que têm, nada pode ser melhor do que aquilo que se possui.
          Pode acreditar, estou entre os incontáveis admiradores do “original”.

34 comentários:

  1. Migueeeeeeeeel!
    Só vc mesmo pra me fazer lembrar do Coquetel: "tuti-fruti, tuti-fruti, tutiiii-fruti".
    Nada como ser original, mas é á sociedade nos impõem padrões cada vez mais altos.
    Me acostumando com umas dobrinhas aqui e outras acolá.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço a realidade que retratas mas percebo o tema...


    Estou ao teu lado. Não gosto de mentira. Prefiro uma verdade menos bonita à uma mentira formosa:)

    Detesto o plástico/silicone como material. Nem de um copo de plástico consigo beber.

    O natural é, se não mais bonito, melhor. Muito.

    ResponderExcluir
  3. Como a Gisa disse, a sociedade em geral está impondo um padrão muito alto de beleza, e quem já nao tem auto estima, acaba ficando mais feia e com o mal do século "depressão".

    Eu acho uma intervenção cirúrgica pode ser uma grande aliada na conquista de um ideal de beleza, masssss... desde que a pessoa respeite as limitações do seu corpo! Só que é um círculo vicioso, acho eu, fez uma, faz mais dez, e aí ao invés de melhorar, piora!!!

    Eu sou feliz como sou, porque do alto dos meus alguns anos (cof cof), alimentação baseada no mais saudável possível, e algumas caminhadas, mantenho o que chamo de "normal". Mais sacrifícios seria demais pra minha cabeça.

    Quanto as outras, se elas sentem-se bem e realizadas e tem dinheiro para mudar, também nao vejo nenhum pecado nisso, mas atentas sempre ao limite da coisa, e nao ao exagero que leva ao ridículo né!

    Ain que texto bom, mais uma vez.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. É isso Miguel. Na época da Marta Rocha, da Terezinha Morango, e de muitas outras Miss Brasil inesquecíveis, todas eram admiradas por seus corpos absolutamente naturais, sem nada artificial. Hoje em dia, a miss já entra no concurso se vangloriando que já tem 15, 20, 25 plásticas. E o resultado é o seguinte: quem lembra o nome da Miss Brasil do ano passado? Não concordo muito com o argumento de que a sociedade está impondo um padrão muito alto de beleza. Acho que quem impõe isso é o "comércio" da cirurgia plástica. Já vi um médico tentando convecer uma amiga de que ficaria bem mais bonita fazendo uma plástica. Evidentemente, dentro do conceito dele, cirurgião plástico, de beleza, mas sem se preocupar com o conceito dela sobre a própria beleza. Não sou contra a cirurgia plástica, mas acho que o bom senso deve prevalecer.
    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigada, muito obrigada e muito obrigada!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Miguel concordo plenamente com vc. Até já escrevi um trecho sobre isso em um texto em que falo do preconceito. Acho que a sociedade impõe sim um padrão de beleza que atende aos interesses da moda e do capital. Muitas mulheres chegam a ficar neuróticas tentando adquirir esse modelo de beleza: magra, perna fina, peitos e bunda grandes. Tudo para atender a indústria da beleza. Quantas mulheres não já perderam a vida por causa de uma cirurgia plástica. As mulheres devem ser mais livres e terem bom senso. Como disse o nosso amigo J.F. Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. A mulher precisa aprender que o original sempre será superior ao artificial, e não deteriora. Meu abraço.

    ResponderExcluir
  8. Miguel, meu querido mais novo amigo!
    Vou parecer antipática, mas com exceção de alguns nomes (Miele e Chacrinha) desconhecia os demais e em especial, as hstórias que vc contou.
    Mas ainda que desconheça detalhes, não preciso deles pra dizer que prefiro os exercicios cerebrais, sexuais e intelectuais. Ah, é tão bom usar o pouco tempo que tenho lendo seu texto delicioso! Já pensou se eu tivesse que usá-lo em academias, cirurgias e recuperações? Olha o qto eu estaria perdendo! Repetindo: prefiro vc, viu? rs...
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Miguel, eu não sou contra as cirurgias plásticas, sou contra ao exagero, a esses "seios maiores que a cabeça", como você bem disse, são realmente esquisitos e eu não consigo ver beleza neles.
    Eu já passeie dos 40 há um bom tempo e penso, sim, em recorrer à cirurgia plástica quando achar necessário, claro que sem exagero.
    Eh...eh...eh... O senhor meu marido também é fã dos originais.

    ResponderExcluir
  10. Vou fazer côro com a Madame Fátima...Muito obrigada, muito obrigada e muito obrigada!!! Só não entendi porque a amiga não permitiu uma apertadinha...rsrsrs. Vim retribuir a visita. Beijocas!

    ResponderExcluir
  11. Olá Miguel!

    Lembro do Cassino do chacrinha e de todo o processo de "cultura ao corpo ideal" desenvolvido pela mídia. Toda essa imposição é aceita pelos que vão de acordo com o pensamento da "grande massa". Fico feliz por você não ser um deles e também pelas mulheres que não aceitam tal imposição.

    Obrigada pela visita lá. Eu demoro a retornar porque geralmente só posso estar na web no final de semana.

    E voltarei também por aqui. Pensamentos assim, adoro ler.

    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  12. Meu pai admira também o 'original'. Diz ele que hoje em dia, o concurso de beleza já não é mais de beleza e sim de melhor cirurgia plástica.

    A sociedade realmente impõe altos padrões de beleza, para o capital e industria de beleza. Não sou contra a cirurgia, tem pessoas que se preocupam muito com sua aparência, tenho uma amiga que é assim, e em consequencia disso acaba não tendo auto-estima. A cirurgia plastica pode fazer ela melhorar sua auto-estima, tendo o corpo do seus sonhos. Sou contra só ao exagero.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Hoje em dia não se confia mais em fotos, porque todas são photoshopadas, as mulheres são todas montadas e as TVs cada vez mais com a programação de baixa qualidade exibem imagens de mulheres que só tem uma bunda avantajada pra mostrar, coxas bombadas e peitos siliconados, pior é que nada pode se fazer, o que eu faço é não assistir essas porcarias, o Pânico é que se tem de pior e degradante a Tv atualmente, por isso louvo a beleza de décadas passadas como as de 1940 ate a de 1960, essas eram naturais, é so ver os filmes. É como vc diz Deus saiu de cena pros cirurgiões enriquecerem.

    ResponderExcluir
  14. "A curiosidade sobre a consistência do seio siliconado, fez com que pedisse há alguns anos para apertar o peito de uma amiga e levei um sonoro "não". Todas as mulheres apertam, não entendi o porque dessa discriminação."

    Desculpe, depois dessa eu preciso parar de rir primeiro...
    ...
    ...
    ...
    ...
    ...
    Pronto. Agora consigo comentar. Sou contra os exageros. Pra falar a verdade, se já não gosto de homem musculoso demais, que dirá das mulheres, que perdem as suas curvas? Tem uma dessas "popozudas" que conseguiu meter tanto silicone na bunda que é até grotesco. Mas pelo menos ela não precisa de preocupar em tempos de chuva: se houver um alagamento, com certeza sairá boiando.

    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  15. Descreveu à perfeição. Mas, infelizmente não são somente as mulheres mas os homens entrando na moda.Onde já se viu colocar paturrilha de cilicone?! Valha-me Deus...

    ResponderExcluir
  16. Miguel

    As mulheres dominaram os comentários. Já aí se ver que assunto as interessa muito.
    Pegar num peito siliconado é horrivel; você aperta e ele volta lentamente. Eu? Tou fora. rssss

    ResponderExcluir
  17. Mas bah! 100%de razão acompanham tuas palavras nesse post. As originais,são mesmo a própria descrição da feminilidade.
    Ahh! Quem não adora na mulher, aquele pequeno excesso que redesenha os quadris?
    Excelente Miguel, gostei demais.

    Abração.

    ResponderExcluir
  18. Olá Miguel!
    É minha primeira visita e encontro um texto bem escrito e que nos deixa, mulheres, aliviadas com esta onda de 'artificialidades' que anda por aí. Eu acho que devemos saber envelhecer, deixar o tempo desenhar nossa cartografia. eu me orgulho de minhas marcas, são vitórias. A vaidade, até um ponto é aceitável e até necessária, mas a gente tem visto aí mulheres que exageraram ese transformaram em monstros. Como bem disse, a tv sempre apelou pela exibição das mulheres e seus corpos naturais. Era um tempo de beleza natural. Parabéns por sua escolha!
    Vou voltar também e te seguir a partir de agora. Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Miguelamigo

    Saíste-me um bom malandro... lol

    Com esse teu ar seráfico, auréola cintilante e de mãos postas, daz-nos neste teu texto flores tais como: «A partir daí atingiu-se o inatingível, Deus e a genética saíram de cena e entrou o cirurgião plástico».

    Escreves mais (e muito bem escreves) que «... por ocasião dos desfiles carnavalescos, vimos na televisão modelos torturadas por seguidas cirurgias plásticas. Transformaram os seios em alegorias para entrar na moda da peitaria robusta das norte americanas. Entupiram as nádegas de silicone para se tornarem rebolativas e sensuais, substituíram os narizes, desviaram costas, mudaram o traçado do dorso para se adaptarem à moda do momento e ficarem irresistíveis diante dos homens». Concordo 21.078,9%...

    E, felizmente, concluis assizadamente que estás «entre os incontáveis admiradores do “original”». Eu também, caríssimo Amigo, eu também...

    Abç

    ResponderExcluir
  20. aquele texto não é meu, é duma escritora portuguesa, mas também gosto muito! obrigada, continue a seguir, bj

    ResponderExcluir
  21. Miguel, meu amigo, adorei!! Nada como uma mulher com curvas originais e aquela leve celulite de mulher de verdade. Academia é bom pro corpo, pra saúde e pra a alma, mas hj em dia não existem mais mulheres na televisão, parecem todas litelmente bonecas inflaveis cujo único objetivo é sexo e a vontade de virar celebridade. Ainda admiro Malu Mader por isso no auge de seus 40 anos.
    PS: Ri mto lembrando desses progras, fez parte da nossa geração, mas o Pânico, não dá, foi bom qdo o Emilia Surita o apresentava na rádio Jovem Pan nos idos dos anos 90...
    Bjo carinhoso

    ResponderExcluir
  22. E o pior é que o silinco no peito ou na bunda é só para converter-se ainda mais naquela categoria de mulher objeto! Pelo amor de Deus, podemos ser bem mais do que isso!

    ResponderExcluir
  23. Tudo tranquilo, Miguel?

    Concordo com o que escreveu. Eu tbm prefiro as que preterem o uso do silicone. ótimo texto grande amigo.

    ResponderExcluir
  24. Oi Miguel,

    Sempre prefiro as coisas ao natural... Acho que toda naturalidade é mais bonita do que as coisas artificiais. Claro que há as exceções, mas no geral é assim que eu penso. É estranha essa evolução em torno do corpo da mulher.
    É estranha a constatação do que é belo ou do que é mais belo. Sempre penso que o mais bonito está mesmo dentro de cada um. Mas, que se vai fazer? A estética externa é a predominante nos dias de hoje.
    Excelente texto!

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  25. Oi Miguel, estou passando como sempre para agradecer aos seus comentários que me encantam cada vez mais e lhe parabenizar pelos textos como sempre tbm, sua sensibilidade de captar temas como esse é majestosa! Abração! Até mais

    ResponderExcluir
  26. Olé, olé Miguel,
    Esse post foi show!
    Gostei muito das considerações sobre o assunto, e sobre a fonte inspiradora ,parece-me que você tem bom gosto, ao admirar as clássicas e originais.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  27. Eu também prefiro o produto original, camarada Miguel. Confesso que algumas destas pseudo-beldades esculpidas a golpes de bisturi e aplicações industriais de silicone me assustam. No último carnaval fiquei apavorado com a visão de uma destas mulheres fruta ou legume (não sei se era melão, beringela, morango ou jaca) em cima de um carro alegórico. Era uma loira gigantesca, musculosa, pintada de verde. Acho que era parente do Incrivel Hulk, a Mulher Abacateiro (aquilo não era uma fruta, era uma árvore).

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  28. Olá, Miguel!
    Que bom saber que são incontáveis os que não admitem "beleza montada"! Nós devemos ser nossas primeiras admiradoras! ;)

    Beijão!

    ResponderExcluir
  29. Agora que visite teu blog, entendi a beleza do seu comentário no meu. Tens o dom de brincar com as palavras e formar idéias maravilhosas, como a desse texto!

    Muito bom!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  30. Olá,Miguel!

    Você não tem idéia de quanto gostei de seu texto.
    Amei!
    Não só as mulheres,mas também os homens de antes eram mais bonitos e naturais... HOje eles até fazem as sombrancelhas, se depilam inteiro e colocam silicone... Também ficaram artificiais.
    Mas, cada época com suas loucuras, né?!
    Durma-se com um barulhos destes.
    Valeu!
    Muita paz! Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  31. Que beloa matéria Miguel. Muito significativa. Retrata bem essa busca desenfreada pelo corpo perfeito. Li um artigo sobre o assunto em que o autor dizia assim: Esta´na hora de fazermos a diferença no mundo , de sermos gente de verdade. Porque de gente de silicone o mundo está cheio." É preciso viver p/ fazer a diferença na vida do outro e não se sobressair apenas por ter a maior prótese de silicone"

    ResponderExcluir
  32. Olá Miguel , além das boas recordações trazidas você me fez gargalhar, so faltou dizer -"homemns corram e procurem ,antes que acabe, ver e "pegar" uma mulher de fábrica, original, rs, tá tudo falsificado"- É verdade tudo isto a mulherada tá abusando demais, turbinam tudo, rs, sabia que as sobras de gordura das "lipos" elas colocam no bumbum? Pois é estão aproveitando tudoooooooooo. Não sou contra quem faz , acho até que em alguns casos é necessário, mas abusar ...dá um tempo! Teu Blog tá ficando lindinho.Abração

    ResponderExcluir
  33. caro Miguel como sempre um texto muito bem escrito com uma extrutura sem igual muito bom mesmo... so para contar que a um tempo uma jovem senhora casada mae de 3 filhinho lindo sofreu um acidente de carro e necessitou de uma cirurgia, o medico muito generoso e amigo da familia operou o proplema causado pelo acidente e decidiu "MELHORAR" algumas coisinhas foi tirando algumas gordurinhas lipou a barriga a perninha e por ai foi quando o marido se deu conta quase matou o medico e usou a frase "VOCÊ TIROU NO CORPO DELA O QUE EU MAIS GOSTAVA O QUE MAIS ME ATRAIA ELA ERA NATURAL DE FABRICA"....
    bjs

    ResponderExcluir
  34. Oi Miguel!! Td bom?? Qto tempo! Estava xeretando seu blog e achei esse texto muito bom! A questão em si transcende a forma e alcança mesmo a aparência que independe do corpo, mas do estilo. Os homens tendem a querer moldar suas parceiras (e nós mulheres tbm)qdo na verdade o que interessa - verdadeiramente interessa - está do lado de dentro, fora da vista meramente ocular. Sou bonita por fora, tenho formas adequadas e desejáveis, meu estilo não é tão na moda assim (paciência), mas o q tenho de melhor, de mais interessante, de mais rico e explorável é o meu intenso, complexo e singelo mundo interior. Valorizar isso é o q torna o homem um homem de valor! heheh Bom, falei demais. Depois dá uma passadinha no blog, estou fazendo um novo sorteio. Bjão e se cuide :-)
    Isabella
    http://universo-fem.zip.net

    ResponderExcluir