sexta-feira, 1 de abril de 2011

Menino



Menino, vem pra dentro, olha o sereno! Vai lavar essa mão. Já escovou os dentes? Toma a benção a seu pai. Já pra cama!
Onde aprendeu isso menino? – coisa mais feia. Toma modos. Hoje você fica sem sobremesa. Onde é que você estava? Agora chega, menino, tenha santa paciência.
De quem você gosta mais, do papai ou da mamãe? Isso, assim que eu gosto: menino educado, obediente. Está vendo? É só a gente falar. Desce daí, menino! Me prega cada susto...para com isso! Joga isso fora. Uma boa surra dava jeito nisso. Que é que você andou arranjando? Quem te ensinou esses modos? Passe pra dentro. Isso não é gente para ficar andando com você.
Avise seu pai que o jantar tá na mesa. Você prometeu, tem de cumprir. Que é que você vai ser quando crescer? Não, chega: você já repetiu duas vezes. Por que você está quieto aí? Alguma coisa está tramando...não anda descalço, já disse! – vai calçar o sapato. Já tomou remédio? Tem de comer tudo, você tá virando um palito. Quantas vezes já te disse para não mexer aqui? Esse barulho, menino! – teu pai tá dormindo. Para com essa correria dentro de casa, vai brincar lá fora. Você vai acabar caindo daí. Pede licença a seu pai primeiro. Isso é maneira de responder à sua irmã? Se não fizer, fica de castigo. Segura o garfo direito. Põe a camisa pra dentro da calça. Fica perguntando, tudo você quer saber! Isso é conversa de gente grande. Depois eu te dou. Depois eu deixo. Depois eu te levo. Depois eu conto. Agora não, depois!
Deixa seu pai descansar – ele está cansado, trabalhou o dia todo. Você precisa ser muito bonzinho com ele, meu filho. Ele gosta tanto de você. Tudo que ele faz é para seu bem. Olha aí, vestiu essa roupa agorinha mesmo, já está toda suja. Fez seus deveres? Você vai chegar atrasado. Chora não filhinho, mamãe está aqui com você. Nosso Senhor não vai deixar doer mais.
Quando você for grande, você também vai poder. Já disse que não, e não, e não! Ah, é assim? – pois você vai ver só quando seu pai chegar. Não fale de boca cheia. Junta a comida no meio do prato. Por causa disso é preciso gritar? Seja homem. Você ainda é muito pequeno pra saber essas coisas. Mamãe tem muito orgulho de você. Cale essa boca! Você precisa cortar esse cabelo.
Sorvete não pode, você tá resfriado. Não sei como você tem coragem de fazer assim com sua mãe. Se você comer agora, depois não janta. Assim você se machuca. Deixa de fita. Um menino desse tamanho, que é que os outros hão de dizer? Você queria que fizessem o mesmo com você? Continua assim que eu te dou umas palmadas. Pensa que a gente tem dinheiro pra jogar fora? Toma juízo menino!
Ganhou agora mesmo e já acabou de quebrar. Que é que você vai querer no dia de seus anos? Agora não, depois, tenho mais o que fazer. Não fica triste não, depois mamãe te dá outro. Você teve saudades de mim? Vou contar só mais uma, tá na hora de dormir. Vem que a mamãe te leva pra caminha. Mamãe te ama, viu! Dá um beijo aqui. Dorme com Deus meu filho!
(Fernando Sabino)

38 comentários:

  1. Todo menino é um rei
    Eu também já fui rei
    Mas quá...despertei

    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade por que se fosse menina ia ser rainha

      Excluir
    2. Rá, rá, rá. Era pra ser engraçado?

      Excluir
  2. Miguel, lembrei-me do meu tempo de adolescente.
    Li esse texto no colégio, na 6ª ou 7ª série.
    Bons tempos aqueles...

    ResponderExcluir
  3. É o segundo texto que me emociona hoje falando sobre maes... e quando nao se tem mais uma, o coração ENCHE de saudade...
    A minha dizia que o que ela mais ia sentir falta na vida dela, quando morresse, era de ser mae. Nao é lindo? Isso só pode ser coisa de mae! Porque ela nem sabia como seria, e já estava sentindo falta de ser mae... ora bolas, tinha que ser a minha mae, essa doida hehe
    Nem precisa dizer para onde você me transportou com esse texto meu querido, mas tudo bem, tô aqui firme e forte.

    #Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Miguel, o texto é do Sabino, grande cronista. Mas, o mérito de o reproduzir é seu. É um lindo texto que retrata parte da vida de todos nós. Que pena! A minha não está mais aqui. Faz uma falta...
    Abração

    ResponderExcluir
  5. Poxa Miguel, lembrei da infância e de um fragmento de um poema de Neruda.
    Ser menino e criança, é uma parte da gente, que se guarda com graça.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. ai como ser menino é dificil rsrsrs
    mas como ser menino é tão bom ...
    este texto remete-nos a nossa bela ou não tao bela infância...
    muito bom
    muito obrigada por suas sempre maravilhosas visitas....
    bjs saude e paz

    ResponderExcluir
  7. Miguel

    Ser criança não é fácil. rsss

    Ser adulto é pior ainda. rsss

    SER. Já é muito dificil.

    (O menor poema do mundo):

    SER.
    É?
    É!

    rsss

    ResponderExcluir
  8. É caso para dizer: Criança sofre!!! :)))
    Adorei este texto, um retrato fiel da maioria das mães. Ainda bem que elas são assim.

    Estou adorando este blog. Só li, além deste. o post anterior, de que gostei imenso.
    Vou voltar, tem que ser :)

    Vou me fazer sua seguidora. Se quiser fazer o mesmo dar-me-á muito prazer.

    Bom fim de semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Gostei de me ver neste menino. Todos o temos dentro de nós...

    todos?

    ResponderExcluir
  10. Miguel, que texto lindo! Cada palavra lida ecoa em minhas lembranças e me traz à memória o carinho e afagos de minha avó e, lógico, de minha mãe. Minha avó doce e severa. Minha mãe compreensiva e apaixonada. E eu agradecido e feliz! :)

    ResponderExcluir
  11. Olá Miguel, parabéns pelo novo blog! Eu demorei porque me confundi com o outro blog. Que legal esta crônica do Fernando Sabino. Entre tantas possibilidades, nós destacamos a rigidez na formação das crianças na década de 1920 (infância do autor). Por outro lado, nós observamos a educação atualmente... Os pais estão tão envolvidos com o corre-corre da vida que não têm tempo para os filhos. Muita rigidez na educação (como no caso da infância do autor) gera repressão. Falta de tempo (como no caso atual) para educar os filhos gera falta de rumo!!!

    ResponderExcluir
  12. Perfeito, o Sabino.
    Ai que saudades eu tenho da minha infância querida, a aurora da minha vida que os anos não trazem mais.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Mas que menino danado, hein! O Sabino arrebentou com essa crônico. E você está de parabéns por postá-la!
    ...
    Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

    ResponderExcluir
  14. Eu me identifico demais com os textos do Fernando Sabino. Adoro a linguagem simples que ele usava, noz fazendo entrar a fundo em suas crônicas. Infelizmente, até hoje, dele, só li livros emprestados. Preciso corrigir isso e montar urgente a minha coleção, rsrsrsrs...

    Meu amigo, obrigada pelas visitas ao meu canto desenhístico. Como ando meio atrapalhada com trabalho, nas horas vagas acabo escrevendo, pra relaxar. Com isso, o meu outro blog que tem recebido mais atenção. Sim, porque assim como o Sr.JF eu adoro contar "causos". O nome do meu outro canto é "EEEPA!!!", ficarei muito feliz em recebê-lo por lá.

    Beijão, uma ótima semana procê!

    ResponderExcluir
  15. Ah, esqueci de colocar o endereço... :-PPP

    http://eeepa.blogspot.com

    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  16. Se duvidar, minha mãe fala assim ainda hoje....rs - Beijos e preciso atualizar o link; boa semana.

    ResponderExcluir
  17. vida de menino não é fácil não!
    me lembrei agora de uma musica do milton, menino maluquinho. especialmente deste pedacinho:
    o tempo do menino maluquinho
    é um tempo que existe só na infância
    mas ele é eterno em todos nós
    ele gruda em nós feito esperança


    e estou me lembrando de outra, dele tb. bola de meia, bola de gude.
    "bola de meia, bola de gude
    o solidário não quer solidão
    toda vez que a tristeza me alcança
    o menino me dá a mão
    há um menino
    há um moleque
    morando sempre no meu coração
    toda vez que o adulto fraqueja
    ele vem pra me dar a mão"


    enfim, falar em menino é mexer no mais profundo das nossas lembranças, né?
    beijo!

    ResponderExcluir
  18. Oi Miguel! Me diverti com o seu comentário, adorei o "como um bom cafa" rsrsrs... é mais ou menos assim mesmo, e eu deveria ter pedido, como a moça fez com vc ;)
    Beijo!

    ResponderExcluir
  19. Lembrei do meu ginásio...Ficava rezando pra professora obrigar a gente a ler mais e mais...
    Obrigada pela visita.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Os ensinamentos de mamãe são inesqueciveis!
    Post novo na área! Bjs e fik c Deus.

    ResponderExcluir
  21. Oi amigo, teu blog é show, muito bem feito, inteligente. Blogs assim, nem peço autorização rsrs, o Literadurando já tem um link no Goal FC http://goalfc.zip.net Abraço

    ResponderExcluir
  22. Olá, Miguel
    Fiquei muito feliz por vc ter gostado das "calcinhas da Maria Eugénia". É sinal de que possui senso de humor, o que me agrada muito, pois adoro rir e brincar (mesmo com coisas sérias...)
    Com não há post novo fui ler o anterior, que outro dia apenas dei uma mirada.
    De fato a mulher passa a vida sacrificando-se em nome de uma beleza efémera, que hoje é duma forma, daqui por uns meses é doutra.
    O maior problema e, quanto a mim, prova de bastante ignorância, é quando se põe em risco a própria saúde, injetando porcarias que podem até ser fatais.
    E afinal para quê? Para terem a ilusão de prolongar a juventude. Para mim não serve Sempre cuidei do meu corpo, quer com ginástica quer com alimentação cuidada. Mais do que isso, NÃO!

    Seja feliz esta semana,(p´ra próxima voltamos a desejar o mesmo...)
    Bejinhos

    ResponderExcluir
  23. Miguel, é triste ser criança na guarda de certas pessoas, e o Sabino retratou isso muito bem nessa crônica. Meu abraço.

    ResponderExcluir
  24. Adorei o texto! Lembro-me da época quando era uma criança menor do que sou hoje.

    Obrigada. Aprendi que se quero alguma coisa, tenho que me esforçar e que o que faço hoje, no presente, resultará no meu futuro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Miguel,

    O Fernando Sabino é perfeito! Desse texto, pelo menos umas vinte frases, nós todos já ouvimos na infância, rsrsrs. Pelo menos!
    Impressionante como conseguimos "enxergar" através das palavras.

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  26. Ah Miguel, que coisa bonita de Sabino!
    Adorei conhecer esse texto! Tudo o que fala de mãe toca tão fundo, é uma pessoa tão importante em nossas vidas que não tem como não se emocionar...
    e todas essas cobranças que elas nos fazem, que de momento não entendemos, esbravejamos...num futuro não tão distante, começamos a entender os porquês de todas elas...
    Lindíssimo texto!!
    Parabéns por postá-lo!

    Grande abraço pra ti!

    ResponderExcluir
  27. Olá
    Obrigada pela simpática visita ao meu espaço. Lindo texto que retrata muito bem a infãncia de muitos de nós...e deixa saudade.

    ResponderExcluir
  28. Tenho estado perdida em minha meninice.
    A gente cresce
    mas nao some da lembrança
    esse doce tempo de criança.
    Com carinho e uma flor
    Rosa de Fátima

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Miguel, eu tive uma infância inteira de medo desta gravura. Sua postagem exorcizou um pouco daquele passado, mas também o despertou. Que medo! [sorrio, pois brinco]
    Meu caro, obrigado por seu gentil comentário em meu blog! Prazer estar aqui novamente! A estrada é longa. Vamos em frente! E vivam os Armelaus da vida! [sorrio]

    ResponderExcluir
  31. Oi Miguel, ótimo texto. Mãe é assim mesmo, mesmo com os filhos "quase" crescidos. Sou uma delas.

    ResponderExcluir
  32. hehe, li isso quando estava na 5ª série

    ResponderExcluir
  33. Li esse texto e agora tenho que fazer um outro com o que o filho diria a mãe!Alguma sugetão??

    ResponderExcluir