sexta-feira, 6 de maio de 2011

A esmola


         Carlos tinha por hábito ir para o trabalho a pé. Sua residência era uma casa confortável, com um imenso jardim e uma extensa alameda florida.

         Abrindo o portão, depara-se com um mendigo sentado no chão da calçada, costas apoiadas no muro. Sente pena do pobre homem. Enfia a mão no bolso e saca a carteira. Pensa em dar-lhe um real. Imagina o sofrimento do homem. Pega uma nota de cinco e a repassa ao mendigo, imaginando que, pelo menos naquele dia teria um almoço decente.

         Dia seguinte encontra o mesmo mendigo, no mesmo lugar. Faz nova caridade, com outra nota de cinco reais. Dia após dia, a situação se repete, vira rotina.

         Meses depois, ao abrir o portão, Carlos encontra o mendigo e, como já se habituara a fazer, enfia a mão no bolso. Descobre que esqueceu a carteira em casa.

         - Azar – pensa ele – Não vou voltar. Ele passa um dia sem minha caridade, e hoje não preciso de dinheiro pra nada...

         Cumprimenta educadamente o mendigo e segue seu caminho. Não sem antes ouvir:

         - Pão duro, desgraçado, miserável...!

(história antiga)

35 comentários:

  1. Muito antiga...Mas vendo bem...Actual:(

    ResponderExcluir
  2. Por isso insisto em dizer que gratidão não é "qualidade" e sim "um dom"... que raros têm!

    Um beijo, Miguel!

    ResponderExcluir
  3. Realmente é assim mesmo.. fazemos.. fazemos.. e depois acreditam que seja uma obrigação.. raríssimas são as pessoas que sabem agradecer o bem recebido.

    Beijoquinhas super em seu coração Miguel!

    Verinha

    ResponderExcluir
  4. Antiga ...pode até ser , mas bastante atual,não digo todos, mas a maioria é viciada em pedir , ter sem esforço nenhum, eu de princípio sou contra este tipo de caridade, faço na Instituição que além da comida para o corpo tenta reeducar e mostrar ao indivíduo que o trabalho dignifica o homem. Os que envelhecem mendigando é porque o faziam desde a infância.Abração Miguel.

    ResponderExcluir
  5. É melhor não dá nada. E esse mendigo é muito folgado. A maioria das pessoas só querem dinheiro. Tchau

    ResponderExcluir
  6. Coisas do dia à dia, nem sempre a gente passa sem ouvir.
    Mas tem vezes,que alguma alma se salva.

    Gostei de ler, assunto bem presente meu amigo.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá Miguel, mais uma vez lhe parabenizo por trazer uma reflexão importantíssima, desta feita, sobre a gratidão. Miguel, infelizmente nós ainda não conquistamos esse sentimento nobilíssimo, gratidão. Na verdade, é difícil entender a atitude exagerada do pedinte, mas uma sociedade hipócrita, preconceituosa, individualista, fútil, consumista, excludente... Como a nossa não pode cobrar gratidão de uma pessoa que é diariamente humilhada nas ruas. Um abraço forte, logo, logo voltarei!!!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Miguel!
    Na verdade, há pessoas pobres e mal agradecidas. Só porque naquele dia, não recebeu esmola, o mendigo injuriou o senhor que todos os dias lhe dava dinheiro.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Por conta de gente assim, hoje em dia restringi dar esmolas, já dfui xingada e tem muitos picaretas, não dá pra saber quem realmente necessita. Divertido!

    ResponderExcluir
  10. Faça várias coisas boas e ninguém percebe... mas faça uma ruim pra ver, foi o caso desse mendigo.

    Boa reflexão Miguelito!!!!
    Beijos de cá para a SP fria...

    ResponderExcluir
  11. texto mt bom e que retrata mt bem a ingratidão de mts pessoas! bjs

    ResponderExcluir
  12. O pior é que às vezes funciona assim mesmo... é difícil quando as pessoas não sabem o que é gratidão!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Miguel querido!!
    Ingratidão é uma palavra q deveria ser extinta do dicionário, mas enquanto existir no mundo vai ser difícil...
    Aproveito pra desejar um feliz dia das mães pra sua e pras mães q o cercam...
    Bjo carinhoso

    ResponderExcluir
  14. Olá, Miguel! Satisfação estar aqui! Éh... ‘Uma esmolinha pelo amor de D! Ah, não tem, então vá para o D que o carregue!’ As mentes estão muito atribuladas em nossos tempos. Paz e ira são ruas que se cruzam todos os dias.
    Obrigado por sua atenção ao Armelau em meu blog. Receio que não seja a bela Lílian o centro das atenções de Armelau, amigo [sorrio].

    ResponderExcluir
  15. olá amigo, fiquei duas semanas em off do blog, agora que voltei não pude deixar de vir conferir teus textos.. adorei teu blog, voltarei mais vezes..

    não conhecia este texto ainda, mas a situação me é velha conhecida.. infelizmente a ingratidão anda em alta ultimamente..

    bjos e ótima semana..

    ResponderExcluir
  16. E não é que tem muita gente assim? Até me lembrou as histórias de Nasrudin! Um abraço, ótima semana!

    ResponderExcluir
  17. Miguel ,
    não conhecia a estória , mas ainda que antiga , o ser humano é mais , e há coisas que permanecem .

    Um beijo e boa semana

    ResponderExcluir
  18. Olá Miguel,
    Que coisa não é mesmo? Infelizmente as pessoas acabam sendo assim em todos os lados e segmentos da sociedade. Na verdade, uma sociedade hipócrita em que muitos ajudam quando querem ou para fazerem média. Evidente, existem aqueles que o fazem por prazer e existem aqueles que se aproveitam para receberem "esmolas" para uso com drogas, álcool, etc e etc.
    Assunto complicado e sem solução.
    Grande abraço e ótima semana.

    ResponderExcluir
  19. A ingratidão é a pior coisa . Muitas das vezes damos esmola e não vemos para quem doamos, e depois vamos perceber que nem mendigo a pessoa era. Acontece muito aqui na minha cidade. Os mendigo tem uma vida melhor do que quem trabalha duro pra ganhar 1, 2, 3 salário mensal. Já ajudei pessoas por prazer em ajudar, e depois descobri que era apenas pra cutivar vicios, ou por não querer trabalhar. Isso é ruim demais, a população esta mais alerta em pessoas que anda pedindo nas ruas. Um abraço! vou seguindo seu blog.

    ResponderExcluir
  20. Então, o mendido se acostumou com os 5 reais de todo dia, não? Como se fosse obrigação do outro...
    Devia lembrar de agradecer pelos outros dias em que o moço não havia esquecido a carteira.

    ResponderExcluir
  21. Já dizia minha mãe: Faz 999, falha uma, perde todas! Infelizmente, depende do caráter de cada pessoa. Esse é formado na infância. Daí a complicação. Muitas crianças não tem essa formação e ficam assim ingratas, invejosas, etc...

    ResponderExcluir
  22. Querido amigo Miguel
    O final desta história (que apesar de antiga eu não conhecia) é o que eu chamo de "levar um murro no estômago".
    Talvez por palermice minha custou-me que o mendigo tivesse reagido dessa forma... doeu-me... A ingratidão custa muito a suportar, não é mesmo?

    Olha, amigo, depois que vc esteve na minha «CASA» publiquei um selinho relativo às 50.000 visitas.
    Não sei se vc gosta ou não de selinhos... mas se quiser ir buscá-lo... acho que ficava bonito neste simpático espaço.
    Decida como quiser...

    Boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  23. História antiga mas bem actualizada, tantas vezes somos vitimas dos chamados "pobres e mal agradecidos"...
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Olá Miguel!
    passando para deixar um beijo em seu coração e avisar que tem um presentinho lá no meu cantinho para você [:)]

    Verinha

    ResponderExcluir
  25. As pessoas não agradecem.

    Teve um dia em que eu estava no Metrô e passou uma Sra. evangélica, me entregou um papel daqueles que se lê um trecho da bíblia e foi embora. Antes dela ir agradeci e, logo em seguida, entrou no vagão um mendingo pedindo esmola, aliás, pedindo dinheiro. Meti e mão no bolso e entreguei à ele o papel com o versículo da Bíblia que a Sra. tinha me dado. Pensei: "ele está precisando mais do que eu dessa "palavra de conforto de Deus"... para minha surpresa, o mendingo pegou o papel, me olhou com raiva e, na minha frente, o rasgou. Disse: "eu quero é dinheiro!" e me deu uma banana e foi embora.

    Moral da história: se à ele, que é mendingo, não interessa a palavra de Deus, então o que mais interessará?

    Dias depois, um amigo me disse que este mendingo pede dinheiro no Metrô apenas para tomar cachaça, e só. É mole?

    ResponderExcluir
  26. é assim mesmo...a ingratidão humana...

    eu particularmente não dou nada nas ruas, se tiver que fazer doação é pra algum orfanato ou casa de caridade que eu sei que o dinheiro irá realmente para o bem e não para drogas, bebidas e afins...

    Muito legal seu blog!

    Beijão

    ResponderExcluir
  27. Nossa, Miguel!!

    Isso é a mais pura verdade/realidade! Impressionante essas história, apesar de antiga, eu não a conhecia. (Não dessa forma, mas eu a estou vivendo no meu dia-a-dia)
    Fico IMPRESSIONADA com a ingratidão das pessoas. Não deveria, mas fico.
    Para mim (desculpe o desabafo), são pessoas totalmente sem vergonha na cara.

    Um beijo, querido

    Carla

    ResponderExcluir
  28. Esmola é um negócio complicado: se vc nao ajuda, pode estar deixando de exercer o amor ao próximo e compartilhar o que tem com uma pessoa menos favorecida. Se ajuda, pode estar incentivando a pessoa a ficar naquela situação "cômoda" e não tentar melhorar a vida.
    Geralmente, eu ajudo com comida: se a pessoa me pedir dinheiro pra comer, eu levo na próxima lanchonete e pago um salgado. Não gosto de dar dinheiro para que nao gastem em bebida ou drogas.
    Bjs e fik c Deus.

    ResponderExcluir
  29. Ja dei esmola pensando que estava ajudando, e logo depois a mesma pessoa apareceu na minha porta completamente alcolizado pedindo novamente esmola.É isso a vida nos ensina muito. Amigo passei pra deixar um abraço e desejar um ótimo final de semana.O blogger esteve com problema esses dias, e só consegui entrar no meu blog hoje pra atualizar.

    ResponderExcluir
  30. obrigada pelos bons desejos amigo.. vou seguir firme em minha luta com a balança sim, o apoio dos amigos é sempre muito importante, ainda mais qdo agente vacila um pouco.. bjos mil e ótimo findi..

    ResponderExcluir
  31. Oi Miguel, a historia pode ser antiga ,mas na realidade é o que acontece. É comum vermos fatos assim em que a pessoa faz o bem a vida inteira. Se num momento qualquer precisa mudar de comportamento, tudo de bom q fez antes cai por terra. O peso maior é o gesto do momento. Basta um gesto negativo para derrrubar anos de feitos positivos. Abraços.

    ResponderExcluir
  32. Olá Miguel
    Vim retribuir sua visita e agradecer seu comentário carinhoso.
    Seus textos são demais!
    Se quiser pode visitar meu outro Blog
    você será sempre bem-vindo !
    http://www.roselirosa.blogspot.com/
    Bjs

    ResponderExcluir
  33. Pois é.. o final da estória era bem previsivel.
    Melhor ensinar o "bichinho" a pescar..

    Bj..

    Vc faz parte dos meus 100 seguidores. Tem um selo comemorativo a sua espera na postagem do dia 25.

    Ma ferreira

    ResponderExcluir
  34. Miguel..me desculpe..eu não tinha lido seu outro comentario. O selinho ja ta com vc. Fico feliz.
    bj
    Ma

    ResponderExcluir