quinta-feira, 28 de abril de 2011

Para nossos filhos, netos...


O texto abaixo foi publicado por ocasião da morte estúpida de Tarcila Gusmão e Maria Eduarda, ambas de 16 anos, em uma cidade do litoral nordestino.

Depois de 13 dias desaparecidas, os pais revelaram “desconhecer” os proprietários da casa onde as filhas tinham ido “curtir” o final de semana.

A tragédia abalou a opinião pública, e após vários anos o crime permanece sem solução.


“MÃES E PAIS MAUS”

Um dia quando nossos filhos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e as mães, haveremos de dizer-lhes:

- Nós os amamos o suficiente para ter perguntado aonde iam, com quem iam, e a que horas regressariam.

- Nós os amamos o suficiente por não termos ficado em silêncio e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo ou amiga, não era boa companhia.

- Nós os amamos o suficiente para os fazer pagar as balas que tiraram do supermercado ou revistas do jornaleiro, e os fazer dizer ao dono: “Nós pegamos isto ontem e queríamos pagar”.

- Nós os amamos o suficiente para ter ficado em pé junto de vocês, duas horas, enquanto limpavam o seu quarto, tarefa que teríamos feito em quinze minutos.

- Nós os amamos o suficiente para os deixar ver além do amor que sentíamos por vocês, também o desapontamento e a tristeza por algo que vocês fizeram, e as lágrimas nos nossos olhos.

- Nós os amamos o suficiente para os deixar assumir a responsabilidade das suas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que partiam nossos corações.

- Mais do que tudo, nós os amamos o suficiente para dizer-lhes “não”, quando sabíamos que vocês poderiam nos odiar por isso (e em muitos momentos nos odiaram, talvez tenham desejado até nossa morte).

         Essas eram as mais difíceis batalhas de todas.

         Poderíamos ficar mais felizes se tivéssemos a certeza que vocês estão vencendo, pois a vitória de vocês seria também a nossa vitória, mas nos parece que estão enfrentando dificuldades, algumas poderiam ter sido evitadas, fomos chatos o suficiente para alertá-los sobre os perigos, mas enfim, daqui para frente deverá haver luta, determinação e principalmente, honestidade e correção em suas atitudes, pois em grande parte de suas vidas, o que não vai demorar, seremos apenas uma foto na parede.

         E se algum dia, quando nossos netos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e as mães, quando lhes perguntarem se seus pais eram maus, digam-lhes:

“Sim, nossos pais eram maus. Eram os piores pais do mundo”.

- As outras crianças comiam doces no café e nós tínhamos que comer cereais, ovos e torradas.

- As outras crianças bebiam refrigerantes e comiam batatas fritas e sorvete no almoço, e nós tínhamos que comer arroz, feijão, carne, legumes e frutas.

- Eles nos obrigavam jantar à mesa, bem diferente dos outros pais que deixavam seus filhos comerem vendo televisão.

- Nossos pais tinham que saber quem eram nossos amigos, e o que fazíamos com eles.

- Insistiam que lhes disséssemos com quem íamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos.

- Eles “violavam” as leis do trabalho infantil.

- Nós tínhamos que tirar a louça da mesa, arrumar nossas bagunças, esvaziar o lixo, e fazer todo esse tipo de trabalho que achávamos cruéis.

- Eu acho que eles nem dormiam à noite pensando em coisas para nos mandar fazer.

- Eles insistiam sempre conosco para que lhes disséssemos sempre a verdade e apenas a verdade.

- Quando éramos adolescentes, tínhamos certeza, eles conseguiam até ler os nossos pensamentos.

- A nossa vida era a pior de todas.

- Eles não deixavam os nossos amigos tocarem a buzina para que saíssemos, tinham que subir, bater à porta para que os conhecessem.

- Enquanto todos podiam voltar tarde da noite com 12 anos, tivemos que esperar pelos 16 para chegar um pouco mais tarde, e aqueles dois chatos levantavam sorridentes para saber se a festa tinha sido boa (mentira, só para ver qual era nosso estado e olhar nossos olhos se estavam vermelhos).

- Eles exigiam que os respeitássemos a todo o custo, que tivéssemos uma igreja, que estudássemos, que não faltássemos à faculdade, insistiam em saber onde estávamos a toda hora, tocavam nosso celular de madrugada, “fuçavam” nos nossos emails e bilhetes, invadiam a nossa privacidade espionando nossos bolsos, nossas gavetas, nossas carteiras, nossa vida era um inferno, não tínhamos um minuto de paz...era praticamente uma prisão.

         Meus filhos, diante do que mencionamos anteriormente, e já no limite insuportável do desespero, recordando as muitas experiências que perdemos em nossa adolescência e juventude, não nos restou outra alternativa senão convocarmos nossos pais e lhes informarmos que havíamos instituído um tribunal, os dois foram devidamente julgados, condenados, e lhes apresentamos a sentença final, inapelável:

- “VOCÊS NOSSOS PAIS AQUI PRESENTES, FORAM OS ÚNICOS E ABSOLUTAMENTE RESPONSÁVEIS POR NENHUM DE NÓS JAMAIS NOS ENVOLVERMOS EM DROGAS E OUTROS VÍCIOS, EM ROUBOS, EM ATOS DE VANDALISMOS, EM VIOLAÇÃO DA PROPRIEDADE ALHEIA, POR NÃO TERMOS SIDO PRESOS POR NENHUM CRIME, POR IDENTIFICARMOS IMEDIATAMENTE AS MÁS COMPANHIAS, E PRINCIPALMENTE, POR TERMOS APRENDIDO A LUTAR CORRETAMENTE POR NOSSAS VIDAS.”

“NÓS OS RESPONSABILIZAMOS DIRETAMENTE POR TUDO ISSO”

         Agora que já somos adultos, honestos, educados, e temos vocês como nossos filhos, iremos fazer o possível e o impossível para sermos “PAIS MAUS”, da mesma forma que demonstrando muito amor, foram nossos pais.

         Porque???

         Porque um dos piores males do mundo de hoje, é que não há mais Pais e Mães “maus”...antes eram esses “maus” que mandavam...hoje em milhares de famílias são os filhos que mandam...muitos desses filhos estão mandando de dentro das cadeias...para esses filhos o caminho largo foi o mais fácil...para eles foi mais interessante obedecer o outro lado da vida...


41 comentários:

  1. Tive uma infância feliz num tempo que podia fazer muitas coisas, falar muitas coisas sem a a paranoia do mundo atual, éramos felizes, realmente crianças,obedecíamos, respeitávamos. Sinto muito pelas crianças de hoje que não têm infância feliz e podem muitas coisas, mas poucas valem a pena.

    ResponderExcluir
  2. Os meus pais sempre foram "maus" nas horas em que precisavam e amigos quando podiam ser. Também optei por ser "má" quando tive as minhas filhas.

    Ainda bem que olhar de adolescente não mata, ou não teríamos essas conversas, não é? rsrsrsrs...

    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  3. Tb sou conhecida como uma mãe de antigamente!
    Bjs Miguel!

    ResponderExcluir
  4. Pode parecer crueldade,mas eu adoro ser mauzinha tb. a proposito, gostaria enviar este texto por e-mail para meus três filhos, tudo bem?
    Bjs. amigo.

    ResponderExcluir
  5. Assunto complicado...Acredito que haja pais maus. Poucos porque o desejam. Apenas porque nunca o deveriam ter sido...

    Actas maus, todos fazemos...mas ainda quero acreditar que são actos involuntários:)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Acho que é exatamente desse tipo de pais “maus” que o mundo está precisando - de pais que se importem com os seus filhos, que acompanhem e auxiliem de perto.

    E quem é o autor do texto Mi, já que você diz foi um texto publicado por ocasião da morte dessas meninas?

    * Espero que consiga manter aqui, seus textos sao sempre bons, divertidos, reflexivos...

    Beijo no core!

    ResponderExcluir
  8. Eita coisinha mais dificil é educar gente! Seria tão bom se os filhos viessem mesmo com manuais de instrução, né não? rsrsrs Mas a gente segue assim, acerta daqui,erra dali... mãe mau daqui, mãe besta dali... e por aí vamos. Vendo os nossos filhotes crescendo, com o orgulho de termos acertado em ver o quanto bom caráter se tornaram e com o desespero de não saber onde erramos ao vê-los com tanta preguiça para lavar uma louça. rsrsrs bjs

    ResponderExcluir
  9. Miguel,
    Nina e eu tivemos "maus" pais. Fomos e continuamos a ser pais "maus", como disse minha filha Luciana, aí em cima. Agora, também somos "maus" com as duas netas, assim como minha filha e meu genro também são "maus". Meus filhos são pessoas com muita estabilidade emocional, responsáveis, honestos, saudáveis, etc. E, pelo jeito, as netas também serão. Antigamente, além dos pais "maus", também existiam os professores "maus" (hoje em dia quase extintos!), que nos ajudavam muito na "maldade" aos filhos. Credito, em boa parte, o aumento da criminalidade, do consumo de drogas, etc., ao excesso de "bondade" dos pais que não sabem dizer NÃO, quando preciso, além do medo dos professores de serem punidos por terem contrariado o aluno.
    Belíssimo e oportuno texto.
    Abração.

    ResponderExcluir
  10. Miguel, tenho 37 anos e tive os meus pais juntos até o dia em que me casei e fui constituir minha própria família (26). A educação que ofereço aos meus filhos é a mesma que recebi, porém aprimorada em muitos sentido, os quais não cabe detalhar aqui. A educação de meus filhos é a tarefa de vida a qual mais me dedico. Prefiro não comentar essa postagem. Qualquer coisa que eu dissesse não expressaria o que sinto por todos envolvidos no assunto que inspirou a sua postagem.
    Obrigado por sua atenção ao meu blog. Quanto ao twitter, mantenha-se longe se sua vida está muito ‘atribulada’, aquela coisa vicia e rouba deliberadamente nosso tempo. [sorrio] Abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  11. sim Miguel, é um filme mt bom! bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá, Miguel!!! Obrigada pela visita ao meu Blog!

    Esse texto sobre "Pais maus", é de uma reflexão incrível! O que sou hoje como ser humano devo aos meus pais que souberam como aplicar essa "maldade" com sabedoria divina.

    Gostei muito do seu espaço! Tomei a liberdade de fazer-me seguidora!

    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  13. Miguel

    Caro amigo. Obrigado pelas amáveis palavras.
    Belo texto, nestes termos, Os pais devem ser "maus" mesmo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Olá Miguel, o seu texto estabelece uma polarização. De um lado, filhos educados sem um acompanhamento mais efetivo dos pais “pais bonzinhos”. Do outro, uma educação com acompanhamento efetivo dos pais “pais maus”. Tudo o que vc colocou, tenho certeza absoluta que foi com as melhores intenções... Foi uma forma de alertar aos pais para a importância do papel efetivo deles na família. Porém como sou um sujeito “chato” que procura sempre exercer um olhar crítico ao modelo de família da sociedade capitalista, ai vai uma sugestão: Educação dialogal, que forma para a liberdade, baseada nas relações igualitárias e democráticas. Infelizmente, nós fomos formados dentro das relações autoritárias, reprodutoras do sistema... A culpa dos males não está nos pais... A culpa está no modelo familiar da sociedade capitalista!

    ResponderExcluir
  15. Pois é Miguel, eu entro nessa lista de "pais maus" com muito orgulho, pois meus filhos hoje mostram-me que acertei.
    Sempre que precisei dizer NÃO, sentei e expliquei e sempre eles entenderam, valeu cada segundo que "perdi" explicando porque determinada coisas não poderiam acontecer.
    É muito difícil educar um filho, mas se optamos por tê-los é nossa obrigação educá-los da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir
  16. Como eu gostava que muitos pais que conheço viessem ler este texto...faço parte dos pais de "antigamente" e nisso tenho orgulho, felizmente já estou a usufruir de resultados...
    Bj

    ResponderExcluir
  17. Essa é a única "maldade" que eu conheço que não costuma terminar de forma, digamos, maléfica.
    Até!

    P.S.: Dia 03/05 é um dia especial no meu blog. Compareça lá, okay?

    ResponderExcluir
  18. Nossa, Miguel, já havia lido esse texto, mas bom lê-lo novamente.
    A realidade é essa, os valores são invertidos e as consequência são irreversíveis.
    Boa semana!
    Com carinho de uma mãe maldosa( rs)
    rosa de Fátima

    ResponderExcluir
  19. Temos que ser gratos pelos pais tão "chatos" q temos.
    Tem post novo na área!
    Bjs e fik c Deus.

    ResponderExcluir
  20. Essa fato terrível aconteceu aqui em PE e até hoje provoca polêmica; em especial porque até hoje não se sabe como tudo aconteceu. E os culpados estão por aí; tranquilamente. Boa semana!

    ResponderExcluir
  21. Ser mulher forte é coisa pra vida inteira mesmo, e até pra depois dela.

    Boa semana my friend!

    ResponderExcluir
  22. Meus pais são horríveis... pois até na tenra idade de 27 anos, trabalhando e tudo, ainda passo por isso... que coisa...

    ResponderExcluir
  23. Meu querido amigo Miguel
    Lembro-me do caso dessa duas mocinhas. Acompanhei pela tv e ainda me recordo muito bem.

    Este texto, que por acaso eu já conhecia, está muito bem escrito e é muito real.
    Os "pais maus" são muito raros hoje em dia (já desde há um certo tempo para cá...); o resultado são jovens desenraizados, sem valores morais a que se agarrarem, muitas vezes presos por terem trilhado maus caminhos.
    Há muitos pais que necessitam rever seu procedimento.

    Boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Miguel ,
    este texto é muito importante para filhos e sobretudo para pais .
    Com as exceções que há sempre numa regra estamos a assistir à demissão dos pais .
    Por medo de ao serem " maus " , perderem os filhos , quando é o contrário .Por falta de tempo , e sobretudo por incapacidade . Educar uma criança e um jovem , deve ser a tarefa mais difícil que o ser humano enfrenta .
    Temos , quanto a mim , pedir ajuda à Existência que nos ilumine .
    Um beijo ,
    Maria

    ResponderExcluir
  25. Olá Miguel,
    Belo texto e que nos envolve muito, pois nos dias de hoje, os pais e mães que tentam educar seus filhos para o bem são poucos, O que se vê por aí é essa juventude solta, nas baladas e "curtindo" tudo o que a vida têm de pior. Lindas e corretas as suas colocações.
    Abraços, querido.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  26. Pois é meu caro; nada como "pais maus" pra construir bons adolescentes, e cidadãos excelentes. Uma ótima, e atualizada definição de nossos dias.
    Grande abraço,sempre reflexivo passar por aqui.

    Uma boa semana.

    ResponderExcluir
  27. Educar é também impôr regras e aplicar sanções. Se houvesse mais "pais maus" o mundo seria um lugar melhor para viver.
    Belo texto, camarada Miguel.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  28. Assunto complicado porque as pessoas costumam complicar.
    Filho mau educado é por causa da família, que hoje em dia se preocupa com seus afezeres profissionais e deixam os filhos à mercê de babás que nem sempre são as ideais, ou em creches (idem).
    A noite, não acham tempo para brincar com os filhos porque estão cansados e ou simplesmente de saco cheio mesmo.
    Lamentável, mas procuro ver mais por esse lado crítico. Evidentemente que não são todos e jamais poderia generalizar.
    Tive uma boa educação, tenho uma filha maravilhosa, bem casada e nesse mês de Maio chega meu neto!
    Um grande abraço e ótima semana.

    ResponderExcluir
  29. Miguel, concordo com o texto, hoje pelo pouco tempo que seus pais tem para ficar com seus filhos, acontece coisas piores. O mal necessario do trabalho e afins, faz seus filhos ver pouco seus pais, assim tornar o acompanhamento intenso. Quem derá se todos os pais fosse duros, assim os filhos cresceriam perfeitos, sabendo o que o mundo e a vida podem encarar. Mas uma coisa deixo claro temos que cair as vezes para criar a chamada "maldade". Senão cresceram filhos sem vontade própria para encarar a vida.

    abraços ... e continuemos.

    ResponderExcluir
  30. Olá, Miguel!
    Pais maus são tudo de bom... Graças aos meus mauzinhos tenho uma boa educação e sei diferenciar o certo do errado.
    Absurdo é os pais deixarem seus filhos soltos por aí sem nem saber por onde andam.
    Adorei, amigo!
    Beijinhos,
    Gisa

    ResponderExcluir
  31. Tem um presentinho pra vc lá na Maraláxia, é um Meme.
    Vc passa lá para pegar seu presente?
    Com carinho
    Fatima

    ResponderExcluir
  32. Eu não sei se este texto é pura verdade.Meu pai dizia que não há educação mas hereditariedade. Junto com o DNA vem atitudes reflexivas.Gente ruim sempre teve mas a mídia prolixa e rápida só temos agora.

    ResponderExcluir
  33. Olá Miguel!.. Que texto perfeito esse.. certamente que nos dias de hoje o que notamos é a falta dos denominados "pais maus" que conseguiram a nobre tarefa de educar seus filhos e de passar os valores necessários para assegurar o caminho do êxito de seus filhos.

    Beijocas em seu coração e seja sempre bem-vindo ao meu cantinho!.. Grata por sua visita [:)]

    Verinha

    ResponderExcluir
  34. Mamarazzi Week, dicas de blog e presente de dia das mães.
    E uma homenagem especial!
    Confira!
    Bjs e fik c Deus.

    ResponderExcluir
  35. Seu texto é bom demais. Muitas pessoas deveriam ter a chance de ter pais “maus” para poder ser grandes pessoas no mundo de hoje. Acredito que todos filhos que tem pais rigoroso são exemplo de pessoas hoje. O mundo seria diferente se a educação de hoje fosse como antigamente. Belo texto. Seu blog é muito bom mesmo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  36. Oi Miguel,

    Eu sempre choro muito quando leio esse texto, é um dos mais lindos que já li. Porque meus pais foram muito maus comigo, e hoje eu tento ser assim com a minha filha. E vejo o quanto não é fácil, ao contrário, é bem difícil. Porque é bem mais fácil deixar ao "deus dará", deixar quieto tudo, não cobrar, não questionar, não proibir. É imensamente mais fácil, mas sempre o caminho mais fácil conduz a coisas ruins.
    Dia após dia... essa é a minha luta. Quero ser uma mãe tão má quanto a minha foi para mim. É a ela que agradeço pelo que sou, o que muito me orgulha.

    Um beijo

    Carla

    ResponderExcluir
  37. Os bons pais que me desculpem, mas o mundo caminhava bem melhor quando predominava os "maus pais"
    Abraços. Texto muito sugestivo. Voltarei, pois é um prazer te ler.

    ResponderExcluir
  38. Oi, Miguel!

    Concordo com o texto e tenho a satisfação de ter uma filha com 24 anos e que não me da´trabalho nenhum. Me agradece quanto a forma que foi criada e até cuida de mim nos momentos em que mais preciso. Por vezes sofro na escola pois quero que meus amigos me tratem como sou tratada pela minha filha.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  39. Olá, Miguel!
    Este texto é um colar de pérolas e cada uma dessas pérolas encerra em si uma grande verdade. Por isso, o colar está pleno de verdades.
    De facto, nós amamos tão profundamente os nossos filhos, que nos tornamos os piores e mais chatos pais do mundo. E ainda bem! Felizes os jovens que têm pais chatos! Pais que os amam acima de tudo e que se preocupam com eles 24 horas por dia. Um filho é um tesouro, é demasiado precioso para que o percamos. E a perda pode não ser uma perda física. Abençoados os filhos que têm pais que se preocupam com eles.
    Um abraço e muito obrigada pelas palavras deixadas no meu blog, que transmitirei, com todo o gosto, à minha Mãe.

    ResponderExcluir
  40. Fantástico Miguel! Posso ler em uma reunião de pais da minha escola? Um abração!

    ResponderExcluir
  41. MUUUUITO BOM!
    OI, VI SEU COMENTÁRIO NUM BLOG E AQUI ESTOU. SOU, SEMPRE FUI E SEMPRE SEREI UMA DAQUELAS MÃES "MÁS", QUE LOGO SERÁ UM RETRATO NA PAREDE... MAS TENHO ORGULHO DE, HOJE, VER MEUS FILHOS (JÁ ADULTOS)NUTRIREM UM GDE E RESPEITOSO CARINHO POR MIM E "ACERTAREM" A PRÓPRIA VIDA, SABENDO DISTINGUIR ENTRE CUIDADO E INTERFERÊNCIA.
    AGUARDO SUA VISITA NO MEU HTTP://JANASSIM.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir